O que fazer com a ansiedade?


Quem de nós já não sentiu os sintomas da ansiedade? Cansaço (fadiga), inquietação, insônia, transpiração, taquicardia, distúrbios gastrointestinais repentinos e muitos outros.

Em nossa sociedade imediatista que nos cobra a perfeição em todos os aspectos, podemos nos sentir ansiosos em muitas situações. Quando temos um prova, uma reunião, uma consulta médica, um exame mais complexo, um encontro especial ou quando precisamos apresentar os nossos resultados, sejam eles escolares, esportivos e profissionais. Qualquer tipo de avaliação pode nos submeter a uma situação que pode gerar a ansiedade. Dificuldades financeiras, falar em público, enfim, a lista de situações ansiógenas é enorme e varia de pessoa para pessoa. As situações novas, em geral geram ansiedade.

Porém, precisamos estar alertas quando a ansiedade atrapalha a nossa qualidade de vida, ou seja, o nosso sono, atenção, foco e as nossas pequenas atividades diárias.

E quando a ansiedade toma conta das nossas vidas e o medo nos paralisa, as preocupações são constantes, podemos estar diante de um transtorno de ansiedade.

Por isso, é muito importante procurar ajuda médica e psicológica quando você perceber que algo não está bem. Praticar exercícios físicos (desde que aprovados pelo seu médico) e ter o hábito de uma alimentação saudável ajudam a diminuir os sintomas da ansiedade. Podemos cuidar de nós mesmos a partir de hoje. Pequenas mudanças na rotina diária como como passear com o seu cachorro, fazer trajetos à pé, participar de grupos de caminhada com amigos , ir a uma academia, comer frutas, verduras, tomar água e acima de tudo “respire”. Usamos apenas um terço da nossa capacidade respiratória. Estas pequenas mudanças podem fazer uma grande diferença na sua vida.

E procure a ajuda médica, pois a medicação correta poderá ser de grande ajuda. Aliada a Psicoterapia e a prática esportiva liberada pelo seu médico, poderá trazer de volta a qualidade de vida que se perdeu. Pense nisso! Cuide do seu corpo e da sua alma.Diz Jung: “Eu não sou o que aconteceu comigo, eu sou o que eu escolhi ser.”Por isso, não tenha vergonha de procurar ajuda. Comece fazendo as suas escolhas para ter uma qualidade de vida melhor. A doença surge como uma tentativa de autocura, para mostrar que somos capazes de muito mais do que imaginamos.

Uma abraço,

Sejam felizes!

www.lucianaderenze.com

luderenze@yahoo.com.br

@psicologalucianaderenze