Burnout






Síndrome de Burnout

Quando o excesso de trabalho te adoece.



A síndrome de Burnout é conhecida como a Síndrome do esgotamento profissional/laboral.

Conhecida popularmente como a síndrome do fósforo queimado (burn=queimar), símbolo clássico do esgotamento físico, mental e exaustão.

Neste momento pandêmico tem sido muito comum a ocorrência em profissionais da área de saúde, devido a alta carga de trabalho e pressão. Mas pessoas de outras áreas também tem sofrido deste mal, seguem alguns exemplos:

  • Profissionais da educação que tiveram seu modelo de trabalho alterado de forma repentina e não planejada.

  • Profissionais de TI que tiveram que implantar a infraestrutura e os sistemas necessários para habilitar o trabalho remoto, num tempo muito curto.

  • Profissionais de vendas que tiveram que adaptar e alterar a forma de interagir com seus clientes.

  • Profissionais mulheres que tiveram que estender a sua jornada de trabalho com as tarefas domésticas e cuidados com os filhos e companheiro.

O termo Burnout ainda não está na DSM-V (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtorno Mentais), mas encontra-se no CID-10 (Classificação estatística Internacional de Doenças e Problemas relacionados à Saúde).

Os sintomas físicos estão ligados ao estresse, esgotamento físico como cansaço excessivo, baixo rendimento laboral, desânimo, pessimismo, humor deprimido, falta de perspectiva, distúrbios do sono, distúrbios gástricos, pressão alta, alterações da libido sexual, irritabilidade, sensação de incapacidade, podendo evoluir para casos mais graves de depressão com ideação suicida e ansiedade .


Converse com o seu médico para a avaliação diagnóstica e medicamentosa. Busque ajuda e procure realizar atividades físicas orientadas pelo seu médico, alimentação saudável, lazer, hobbies e descanso são necessários. Se for possível peça ajuda de um nutricionista e orientador físico também. O tratamento do Burnout é combinado com orientação médica e sessões semanais de psicoterapia.


Vilões do tratamento: Resistência em procurar ajuda médica e psicológica, principalmente se for um profissional da saúde, vergonha (em ser um paciente, vergonha da exposição para a família e colegas de trabalho), dificuldade em colocar limites e desistência do tratamento aos primeiros sinais de melhora. Lembre-se que a busca pelo tratamento do Burnout é um ato corajoso e de respeito consigo mesmo.

Tags: